Resenhas II

Resenhas II – resenhas críticas disponibilizadas na internet

Resenhas II
  • A Revolução Brasileira

    A Revolução Brasileira, Ed. Brasiliense, 1966. Por Assis Tavares (pseudônimo de Marco Antônio Coelho). (Leia abaixo a resposta de Caio Prado Jr. a esta resenha crítica.) Em nossa literatura política um livro lançado recentemente vem tendo larga repercussão. Trata-se da obra de Caio Prado Jr. A Revolução Brasileira. A importância do trabalho do historiador paulista […]

  • A Revolução Burguesa no Brasil

    A Revolução Burguesa no Brasil, Florestan Fernandes. Editora Zahar, 1975. Por Paulo Silveira Os comentários surgidos até agora sobre este último livro de Florestan Fernandes, independentemente de seu teor crítico (e, portanto, político) têm concordado com a dificuldade da leitura do texto. Por que A Revolução Burguesa no Brasil é um texto difícil? Esta dificuldade provém principalmente dos níveis em que […]

  • As classes perigosas

    As classes perigosas: banditismo urbano e rural. Alberto Passos Guimarães, Editora da UFRJ, 2008. Por José Paulo Netto A republicação de As classes perigosas: banditismo urbano e rural, de Alberto Passos Guimarães, atende a uma dupla demanda da inteligência crítica brasileira. A primeira, mais ou menos óbvia, é repor em circulação um livro há muito esgotado, só […]

  • A mulher na sociedade de classes

    A mulher na sociedade de classes. Mito e realidade, Heleieth Safioti.  Por Celi Regina Jardim Pinto Escrito entre os anos de 1966-1967 e publicado pela primeira vez em 1969, A mulher na sociedade de classes: mito e realidade é uma obra que amalgama três histórias: a pessoal, a do momento político e intelectual do Brasil e a […]

  • Origens da dialética do trabalho

    Origens da dialética do trabalho,  José Arthur Giannotti. Difel, São Paulo,. Por João Quartim de Moraes. Como “ajustar contas” com a dialética? Pelo fato mesmo de se propor este objetivo em  Origens da Dialética do Trabalho, o prof. Giannotti obrigou-se a definir um método de estudo do método dialético. “Embora nossa intenção seja realizar uma […]

  • Marxismo sem utopia

    Marxismo sem utopia, Jacob Gorender, Editora Ática, São Paulo, 1999. 288 ps., Por Duarte Pereira “Na minha idade, não quero mais ser enganado nem enganar ninguém.” Com esse desabafo amargo, o historiador e ensaísta Jacob Gorender justificou, em entrevista concedida à Folha de S. Paulo, seu último livro, Marxismo sem utopia, lançado no final do ano passado.[1] […]

 

 

 

Powered by themekiller.com