Leandro Konder

0

Dedicado a Leandro Konder (1936-2014), este dossiê disponibiliza a quase totalidade de seus livros, alguns artigos, entrevistas, vídeos etc. que permitem conhecer sua obra e militância ideológica e política.

Filho do sanitarista e militante comunista Valério Konder, Leandro Konder graduou-se em direito pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro em 1958. Em 1987, obteve o título de doutor em filosofia pela UFRJ com a tese A derrota da dialética. Trabalhou, inicialmente, como advogado trabalhista, até ser demitido dos sindicatos em que atuava, em função do golpe militar de 1964.

Forçado a sair do Brasil, foi para a Alemanha, em 1972, onde trabalhou na Universidade de Bonn e, posteriormente, esteve num período de estudos na França; retornou ao país em 1978. De 1984 a 1997, foi professor no Departamento de História da UFF. Desde 1985, vinculou-se também ao Departamento de Educação da (PUC-RJ).

A extensa, fecunda e erudita produção intelectual, a contribuição ao marxismo brasileiro e os embates políticos e ideológicos travados por Leandro Konder – um “filósofo democrático”, nas palavras do estimado companheiro d´armas Carlos Nelson Coutinho – podem ser conhecidos por meio de um emocionado texto de José Paulo Netto e pelos ensaios contidos em A revanche da dialética , livro organizado por Maria Orlanda Pinassi, colaboradora de marxismo21. O texto de Virgínia Fontes, membro do Conselho Consultivo deste site, igualmente contribui para o conhecimento da figura intelectual e política do combativo marxista brasileiro.

Editoria / 1 novembro de 2019

******

Um amorável marxista: Leandro Konder

José Paulo Netto

As lutas de classes, especialmente nas conjunturas sociais tensas e mais crispadas, afetam diretamente os comportamentos das mulheres e dos homens que estão na linha de frente dos confrontos políticos. Quem deles participa sabe como é difícil manter a firmeza de princípios e de posições ao mesmo tempo em que se conservam a serenidade pessoal e o trato urbano – seja com inimigos, adversários e mesmo companheiros. Sem paixão não há combate revolucionário pelo socialismo, mas a paixão, tomada em si mesma, não é qualidade revolucionária: só o é quando dirigida por uma racionalidade (envolvente de meios e fins) que implica, necessariamente, a mediação da cortesia e – tomemos a palavra tão desusada hoje – gentileza. ler mais

******

Leandro Konder, marxista, mestre e amigo.

Virgínia Fontes

Leandro Konder não é apenas um pensador, é um militante. Poderia facilmente ter utilizado como “moeda de troca” os saberes que teve a chance de compartilhar em família, o conhecimento, fruto de tantas horas de trabalho e de leitura, de sistematização, de pesquisa. Ao contrário, sempre disponibilizou socialmente sua erudição, seu conhecimento, sua enorme cultura. Sua vida é, pois, plena de sentido – aquele sentido que não se compra, mas se produz. Eu dou aulas em diversos cursos do MST, onde Leandro Konder é uma das pessoas mais queridas e um dos intelectuais mais admirados, uma referência permanente.

Num país escasso de fortes tradições culturais socializadas, a trajetória de Leandro é um emblema, compartilhando a luta, dividindo seu conhecimento para multiplicá-lo, permitindo-nos o acesso aos tesouros que sua biblioteca infinita comporta, participando ombro a ombro nas batalhas decisivas.ler mais

******

I . LIVROS (em ordem alfabética e acesso aqui)

a) Obras do autor: 

A democracia e os comunistas no Brasil. 1980

A derrota da dialética: a recepção das ideias de Marx no Brasil, até o começo dos anos trinta. 2009

A morte de Rimbaud. 2000

A poesia de Brecht e a história. 1996.

A questão da ideologia: 2002

Bartolomeu: a vida gloriosa e os feitos memoráveis de Bartolomeu da Poguncia, o maior anão do mundo, 1997

Filosofia e educação: de Sócrates a Habermas (organização) 2. ed.

Flora Tristan: uma vida de mulher, uma paixão socialista.  1994

Fourier, o socialismo do prazer. 1998

Hegel: a razão quase enlouquecida

História das ideias socialistas no Brasil/ 2. ed. 2010

Intelectuais brasileiros & marxismo. 1991

Introdução ao fascismo. 2. ed. 1979

Kafka, vida e obra. 4ª ed. 1974

Lukacs. 1980

Marx: vida e obra. 1999

Marxismo e alienação: contribuição para um estudo do conceito marxista de alienação / 2. ed. 2009

Memórias de um comunista

O futuro da filosofia da práxis: o pensamento de Marx no século XXI. 2. ed.1992

O marxismo na batalha das ideias/ 2. ed. 2009

O que é dialética

Uma nova teoria do romance. Introdução ao livro O romance está morrendo de Ference Férer

Os marxistas e a arte: breve estudo histórico-crítico de algumas tendências da estética marxista. 1967

Os sofrimentos do “homem burguês”. 2000

Sobre o amor. 2007

Walter Benjamin: O marxismo da melancolia, 2a. ed. 1989.

b) Obra sobre Konder

Leandro Konder: A revanche da dialética, Maria Orlanda Pinassi (org), Ed. Unesp, 2002.

II. Artigos (em ordem cronológica)

Sartre, suas contradições formais e seus méritos. Estudos Sociais, número 9. Setembro de 1960, p. 89-94.

Algumas considerações sobre a fisionomia ideológica de Fernando Pessoa.  Estudos Sociais, volume III, número 11, dezembro 1961. p. 283-294.

Rosseau e o liberalismo: o “Contrato Social” e o liberalismo burguês. Estudos Sociais, volume IV, número 14, setembro 1962, p. 175-182.

Marxismo e cristianismo: pressupostos de um diálogo. Estudos Sociais,  volume IV, número 16, março 1963, p. 332-340.

Problemas do realismo socialista. Estudos Sociais, volume V, número 17, junho de 1963. p. 46-60.

 Carta sobre o stalinismo, G. Lukács [tradução de Leandro Konder]. Estudos Sociais, volume V, número 19, fevereiro de 1964, p. 291-305.

Marxismo e alienação. Revista Civilização Brasileira, n. 3, 1965

A autocrítica do marxismo [Konder entrevista Lukács]

Rebeldia, desespero e revolução no jovem Lukács. Temas de Ciências Humanas, volume 2, 1977, p. 57-68.

Marxismo e cristianismo. Encontros com a Civilização Brasileira, n. 6. 1978

Hegel e a práxis. Temas de Ciências Humanas. Volume 6, 1979. p. 1-16.

O PCB no imediato pós-guerra (1945-1946). Termas de Ciências Humanas, volume 8, 1980. p. 103-114.

Caio Prado Jr.: nadador e aviador, Revista USP, junho/agosto 1998

Hamlet. Revista Novos Rumos, volume 14, no. 30, 1999.

Benjamin e o marxismo. Revista Alea, 2003

A Dialética e o marxismo. Trabalho Necessário, Número 1, Ano 1, 2003.

Filosofia e Educação: as mediações da política cultura, Revista Pro-posições, jan/abril, 2010

III. Artigos sobre a obra de LK

Um amorável marxista, José Paulo Netto, 2014

Um filósofo democrático, Carlos Nelson Coutinho, 1998

A (re)volta da dialética: diálogo. Autocrítica e transformação no pensamento de Leandro Konder  , Lua Nova, no. 101, 2017, André Luis de Oliveira Mendonça e Katia Reis de Souza

IV. Edição da Revista Chronos, Unirio, dedicada a Leandro Konder

V. Entrevistas

Entrevista de Georg Lukács concedida a Leandro Konder

Um homem do século XIX [entrevista concedida a Bia Kushnir]Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. 2015

Revista de estudos marxistas Margem Esquerda (2005)

Blog Algo a Dizer (2007)

Revista da Fapesp (2002)

Revista Teoria & Debate (1999)

VI. Trabalhos acadêmicos sobre a obra de L. Konder

Democracia e socialismo no pensamento de Leandro Konder (1935-2014)

A recepção das ideias estéticas-literárias de Lukács nas obras de Leandro Konder e Carlos Nelson Coutinho

VII. Vídeos

O filósofo que sonha

Memórias de um marxista

 

 

Leave A Reply

Powered by themekiller.com