Cem anos de Florestan Fernandes.

1

Por meio deste dossiê, marxismo21 presta uma homenagem a Florestan Fernandes que, em 22 de julho de 2020, completaria 100 anos.

Florestan Fernandes foi um pensador excepcional, não apenas pelo rigor teórico, abrangência, fecundidade e originalidade de sua extensa obra;  na melhor tradição do marxismo clássico, se distinguiu por sua militância socialmente comprometida. Desde jovem, esteve ele convencido de que um pensador crítico jamais deveria aceitar a rígida distinção entre a investigação científica e a luta pela realização de suas convicções políticas e ideológicas. No seu caso, nunca dissociar a sociologia do socialismo.

Como docente – no Brasil e no exterior –, autor, publicista, tribuno e parlamentar, Florestan esteve sempre comprometido com os interesses sociais e políticos dos “de baixo”; neste sentido, buscou resgatar historicamente a organização social das sociedades indígenas, contribuiu para desmistificar a chamada “democracia racial” no Brasil, empenhou-se na Defesa da Escola Pública, analisou as contradições e as limitações estruturais da democracia capitalista e defendeu radicais transformações do capitalismo dependente na direção do socialismo.

Neste dossiê, divulgamos alguns de seus 50 livros e parte das centenas de artigos bem como dezenas de entrevistas concedidas por ele. Igualmente, são divulgados materiais diversos sobre aspectos de sua extensa produção intelectual (livros, artigos, teses/dissertações acadêmicas, entrevistas e resenhas), além de vídeos e filmes.

marxismo21 agradece a colaboração de pesquisadores da obra do autor que nos enviaram materiais que compõem este dossiê. Um agradecimento especial a Diogo Valença – competente e rigoroso pesquisador – que sugeriu e enviou dezenas de textos sobre a obra de Florestan. Nesta mesma direção, somos igualmente gratos pela colaboração solidária de Antonio Brunetta, Aurea Fuziwara, Camila Grosseli, Carla Luciana Silva, Elaine Bortone, Eliane Veras, Fernando Araujo Junin, Francisco Prandi, Hector Benoit, Luciano Dutra, Osvaldo Coggiola, Paulo Henrique Fernandes da Silveira, Paulo Henrique Martinez, Rafael Padial, Renato Fontes, Rodrigo Castelo e Sérgio Braga. A nosso ver, este expressivo número de colaboradores bem revela o interesse que a obra de Florestan Fernandes – de extensa amplitude no campo das ciências sociais – desperta entre os pesquisadores acadêmicos e fora da universidade brasileira.

Todas as imagens que ilustram o dossiê foram, gentilmente, cedidas por Vladimir Sacchetta. A Editoria de marxismo21 é grata por esta gentileza e solidariedade deste companheiro e dileto camarada de Florestan Fernandes.

O texto que abre este dossiê tem como autor um afetuoso e estimado amigo de Florestan Fernandes. A rigor, Antonio Candido (1918-2017) foi, ao longo de cinco décadas, um autêntico companheiro d´armas. Ao conceder a palavra inicial a Candido, marxismo21 também homenageia este radical pensador social e cultivado crítico literário que, nas palavras de Florestan, “nunca trocou de identidade política”. Impõe-se ainda enfatizar que, até o fim de sua fecunda existência, este “mestre exemplar” jamais abdicou de suas firmes convicções socialistas.

Editoria / julho 2020

*****

Florestan Fernandes marxista

Antonio Candido

É significativo e oportuno que seja prestada homenagem a Florestan Fernandes no quadro de um simpósio dedicado a celebrar o centenário da morte de Friedrich Engels, pois Florestan era um marxista convicto, embora não dogmático. Mesmo porque chegou ao marxismo, no curso de um processo intelectual completo, que não anulou, mas incorporou outras linhas teóricas. Basta dizer que ao mesmo tempo em que estudava a obra de Marx, nos anos 40, pautava a sua investigação pelos princípios do positivismo sociológico francês e do funcionalismo anglo-americano. Àquela altura, de um lado traduziu e fez uma sólida introdução à Contribuição à crítica da economia política, de Marx; de outro lado, usou o arsenal teórico do funcionalismo para desvendar a organização social dos Tupinambá. Além disso, era militante no grupo trotskista liderado por Hermínio Sacchetta, que tentou em 1945 formar uma frente ampla com o nome de Coligação Democrática Radical, que não deu certo, mas à qual o jovem Florestan dedicou muito esforço durante certo tempo. Diante disso, pode-se perguntar: era um eclético? Não. Em primeiro lugar, notem que estou descrevendo a fase inicial de uma formação que ainda não amadurecera por completo. Em segundo lugar, porque vendo as coisas de hoje percebe-se que estava explorando como socialista linhas teóricas de maneira, por assim dizem paralela, acabando por extrair da sua interação uma visão coerente e flexível. Assim foi que ao cabo de certo número de anos o seu paralelismo teórico chegou ao que se poderia chamar de marxismo enriquecido, que foi a sua fórmula pessoal. Marx também explorou diferentes linhas, por vezes potencialmente conflitantes, com a economia liberal, inclusive a teoria de Ricardo, o radicalismo democrático francês, o materialismo filosófico alemão, e nem por isso foi eclético. (Extraido do livro Lembrando Florestan Fernandes), o texto continua à p. 58 

******

I. Livros de autoria de Florestan Fernandes

Florestan Fernandes. A conspiração contra a escola pública

Florestan Fernandes. A contestação necessária

Florestan Fernandes. A ditadura em questão

Florestan Fernandes. A formação política e o trabalho do professor

Florestan Fernandes. A função social da guerra na sociedade tupinambá

Florestan Fernandes. A integração do negro na sociedade de classes vol 1

Florestan Fernandes. A integração do negro na sociedade de classes vol.2

Florestan Fernandes. A revolução burguesa no Brasil

Florestan Fernandes. A sociologia no Brasil

Florestan Fernandes. Apontamentos sobre a teoria do autoritarismo

Florestan Fernandes. Brasil em compasso de espera

Florestan Fernandes. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina

Florestan Fernandes. Circuito fechado

Florestan Fernandes. Da guerrilha ao socialismo: A revolução cubana

Florestan Fernandes. Democracia e desenvolvimento – a transformação da periferia e o capitalismo monopolista na era atual

Florestan Fernandes. Dominación y desigualdad: El dilema social latinoamericano

Florestan Fernandes. Em busca do socialismo: últimos escritos e outros ensaios

Florestan Fernandes. Florestan Fernandes na Constituinte

Florestan Fernandes. Florestan Fernandes: sociologia crítica e militante (Octávio Ianni org.)

Florestan Fernandes. Florestan Fernandes – Leituras & legados

Florestan Fernandes. Fundamentos empíricos da explicação sociológica

Florestan Fernandes. Mudanças sociais no Brasil

Florestan Fernandes. Nós e o marxismo

Florestan Fernandes. Nova República?

Florestan Fernandes. O negro no mundo dos brancos

Florestan Fernandes. O PT em movimento

Florestan Fernandes. O que é revolução?

Florestan Fernandes. O significado do protesto negro

Florestan Fernandes. Organização social dos Tupinambá

Florestan Fernandes. Pensamento e Ação: O PT e os rumos do socialismo

Florestan Fernandes. Poder e contrapoder na América Latina

Florestan Fernandes. Que tipo de república?

Florestan Fernandes. Sociedade de classes e subdesenvolvimento

Florestan Fernandes. The Latin American in Residence Lectures (University of Toronto)

Florestan Fernandes. Universidade brasileira: reforma ou revolução?

Ato na Faculdade de Direito, USP, 1991 – Arquivo FF, UFSCar

O ato acima pode ser assistido aqui

II. Livros em co-autoria

Caio Prado Jr. e Florestan Fernandes. Clássicos sobre a revolução brasileira

Roger Bastide e Florestan Fernandes. Brancos e negros em São Paulo

Roger Bastide e Florestan Fernandes. Relações raciais entre negros e brancos em São Paulo

Roger Bastide e Florestan Fernandes. O preconceito racial em São Paulo

III. Artigos

Florestan Fernandes. Florestan Fernandes (Revista Adusp, n. 4, 1995, vários textos e comentadores)

Florestan Fernandes. A Constituição como projeto político (Tempo Social, vol. 1, n. 1, 1988)

Florestan Fernandes. A família patriarcal e suas funções econômicas (Revista USP, n. 29, 1996)

Florestan Fernandes. A herança intelectual da Sociologia (In: FORACCHI, M.; MARTINS, J. S. Sociologia e sociedade. Rio de Janeiro, LTC, 1977)

Florestan Fernandes. A percepção popular da Assembléia Nacional Constituinte (Estudos avançados, b. 2, n. 2, 1988)

Florestan Fernandes. A questão dos judeus na União Soviética (In: WALDMAN, M. Política das minorias. Porto Alegre, Mercado aberto, 1988)

Florestan Fernandes. A universidade ambígua (Contexto n.1, 1976)

Florestan Fernandes. As “trocinhas” do Bom Retiro. Contribuição ao estudo folclórico e sociológico da cultura e dos grupos infantis.  (Pro-posições, vol. 15, n. 1, 2004)

Florestan Fernandes. Antecedentes indígenas. Organização social das tribos tupis. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (Org.). História geral da civilização brasileira. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007, p. 83-99. v. 1, tomo 1.

Florestan Fernandes. Apresentação da obra Vladimir I. Lênin. Que fazer? (In: LENIN, V. I. Que fazer? São Paulo, Hucitec, 1988)

Florestan Fernandes. Caio Prado Júnior: A rebelião moral (In: FERNANDES, F. . A contestação necessária. São Paulo, Ed. Ática. 1995)

Florestan Fernandes. Carlos Marighella: a chama que não se apaga (Disponível em marxists.org, 1984)

Florestan Fernandes. Ciências sociais na ótica do intelectual militante (Estudos avançados, v. 8, n. 22, 1994)

Florestan Fernandes. Constituinte: Mobilização no segundo turno (Jornal O Corneta, ano III, n. 26, 1988)

Florestan Fernandes. Cuba e a revolução socialista (Encontros da Civilização Brasileira, n. 18, 1979)

Florestan Fernandes. Democracia e socialismo (Crítica Marxista, n. 3 1996)

Florestan Fernandes. Depoimento sobre Hermínio Sacchetta (Disponível em marxists.org)

Florestan Fernandes. Desafios às Ciências Sociais de língua portuguesa (Disponível em marxists.org, 1990)

Florestan Fernandes. Introdução da obra Marx e Engels. Coleção Grandes Cientistas Sociais (In: Marx K.; Engels. Grandes Cientistas Sociais. História. São Paulo, Ática, 1989)

Florestan Fernandes. La persistencia del pasado (Revista Mexicana de Sociología, vol. 28, n. 4, 1966)

Florestan Fernandes. Las ciencias sociales en Latinoamérica (Revista Mexicana de Sociología, vol. 28, n. 4, 1966)

Florestan Fernandes. Lévy-Bruhl e o espírito científico (Revista de Antropología, vol. 2, n. 2, 1964)

Florestan Fernandes. Más allá de la pobreza: el negro y el mulato en Brasil (Revista Mexicana de Sociología, vol. 33, n. 2, 1971)

Florestan Fernandes. Movimento socialista e partidos políticos (In: BOGO, A. Teoria da organização política (vol. 3). São Paulo, Expressão Popular, 2008)

Florestan Fernandes. Nem federação, nem democracia (São Paulo em Perspectiva, 4(1), 1990)

Florestan Fernandes. Notas sobre o fascismo na America Latina (In: FERNANDES, F. Poder e contrapoder na América Latina)

Florestan Fernandes. O ensino de Sociologia na escola secundária brasileira (I Congresso Brasileiro de Sociologia, 1954)

Florestan Fernandes. O historiador enquanto jovem (Luso-Brazilian Review, v. 32, n. 2, 1995)

Florestan Fernandes. O pensamento político de Marighella (Disponível em marxists.org, 1994)

Florestan Fernandes. O protesto negro (São Paulo em Perspectiva, 2(2), 1988)

Florestan Fernandes. O PT em movimento (Disponível em marxists.org, 1991)

Florestan Fernandes. O que é o marxismo-leninismo? (Disponível em marxists.org)

Florestan Fernandes. Os dilemas da reforma universitária consentida (Revista Mexicana de Sociología, Vol. 32, No. 4, 1970)

Florestan Fernandes. Otto Maria Carpeaux (Contexto, n.5, 1978)

Florestan Fernandes. Padrões de dominação externa na América Latina (Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 11, n. 1, 1990)

Florestan Fernandes. Prestes, o herói sem mito (Disponível em marxists.org)

Florestan Fernandes. Psicanálise e sociologia (Revista de antropología, v. 4, n. 2, 1956)

Florestan Fernandes. Reform and Revolution (Canadian Journal of Latin American and Caribbean Studies, v. 12, n. 23, 1987)

Florestan Fernandes. Resposta às intervenções: um ensaio de interpretação sociológica crítica (Encontro da Civilização Brasileira, n. 4, 1978)

Florestan Fernandes. Revolução ou contra-revolução? (Contexto, n.5, 1978)

Florestan Fernandes. Revolução, um fantasma que não foi esconjurado  (Crítica Marxista, n. 2, 1995)

Florestan Fernandes. Significado atual de José Carlos Mariátegui (Disponível em marxists.org, 1995)

Florestan Fernandes. Slaveholding society in Brazil (Annals New York Academy of Sciences)

Florestan Fernandes. Tarefas dos intelectuais na revolução democrática (Encontros da Civilização Brasileira, n. 14, 1979)

Florestan Fernandes. The Weight of the Past (Daedalus, v. 96, n. 2, 1967)

Fernandes, Florestan. Tiago Marques Aipobureu: um bororo marginal  (Tempo Social, vol. 19, n. 2, 2007)

Florestan Fernandes. Unidade das Ciências Sociais e a Antropologia  (Anhembi, v. XLIV, n. 132, 1961)

Arquivo FF – UFSCar

IV. Entrevistas e depoimentos:

Sumário do Curriculum de Florestan Fernandes  (Estudos avançados, v. 10, n. 26, 1996)

Florestan Fernandes. 1920-1995 (Entrevista) (Tempo Social, 7(1-2), 1995)

Florestan Fernandes. A pessoa e o político, (Escrita/Ensaio, n. 8, 1980)

Florestan Fernandes et al. A questão racial brasileira vista por três professores (Revista USP, n. 68, 2005-2006)

Florestan Fernandes. A transição e as tarefas da classe operária (Teoria e Política, n. 8, ano 2, 1987, com anotações à mão do entrevistado)

Florestan Fernandes. A revolução burguesa no Brasil em questão (Contexto, n. 4, 1977)

Florestan Fernandes. Como vai a Constituinte? (Jornal O Corneta, n. 17, pp. 3-4)

Florestan Fernandes. Constituinte e revolução (Ensaio, n. 17-18, 1989)

Florestan Fernandes. Entrevista a Teoria & Debate (Disponível em marxists.org, 1991)

Florestan Fernandes. Entrevista ao Programa Roda Viva (Disponível em marxists.org, 1994)

Florestan Fernandes. Florestan fala sobre a luta de classes (Jornal O Corneta, n. 18, p. 4)

Florestan Fernandes. História e histórias (Entrevista) (Novos Estudos, n. 42, 1995)

Florestan Fernandes. Sobre o trabalho teórico (Trans/Form/Ação, vol. 2, 1975)

INEP. Florestan Fernandes: Memória viva da educação brasileira (INEP, 1991)

V. Prefácio e Resenhas

Prefácio a Diário da Libertação. Licinio Azevedo e Maria da Paz Rodrigues

Greve de massa e crise política (livro de José Alvaro Moisés) (Encontros da Civ. Brasileira, n. 13, 1979)

Anais do XXXI Congresso Internacional de Americanistas, Anhembi (XXII) 66, maio de 1956

VI. Atuação parlamentar na Câmara dos Deputados

Arquivo sonoro dos pronunciamentos no plenário (1987-1995)

Notas taquigráficas dos discursos proferidos no plenário (1987-1995)

Foto Carlos Menandro – JB. Manifestação em Brasília, DF: “Desafiado, o parlamentar socialista lança a gravata ao público que o aplaude”

VII. Textos sobre Florestan Fernandes

a) Livros

As transfigurações da educação brasileira na teoria d Florestan Fernandes: escola e socialização política na formulação estratégica da revolução socialista, Ricardo Scopel Velho

A tragédia educacional brasileira no século XX, Henrique T. Novaes e Júlio H. Okumura

Florestan Fernandes: 20 anos depois. Um exercício de memória, Vera Cepêda e  Thiago Mazucato

Florestan Fernandes, Aristeu Portela Júnior

Florestan Fernandes, Marcos Marques de Oliveira

Florestan Fernandes: vida e obra, Laurez Cerqueira livro

O intelectual Florestan Fernandes e seus diálogos intelectuais, Vera Cepêda e Thiago Mazucato

Pensando com Florestan Fernandes Vladimir Sacchetta e Carmen Castro (Coleção Pensadores da Realidade Brasileirra)

b) Artigos e entrevistas

i. Em dossiês:

Dossiê da Revista FLORESTAN, vários autores

Dossiê sobre a obra de Florestan Fernandes, revista Ideias, IFCH, Unicamp, 1997 (vários autores)

ii. Trabalhos individuais ou conjuntos

A constituinte na perspectiva estratégica de Florestan Fernandes, Michel Goulart da Silva e Ricardo Scopel Velho     

A atualidade da interpretação sociológica de Florestan Fernandes, Heloisa Fernandes 

A contestação necessária: estratégia e desafios da autoformação dos trabalhadores, Roberto Leher                  

A Educação segundo Florestan Fernandes, Iziane Andrade Maia

A leitura sociológica do folclore paulistano: a contribuição de Florestan Fernandes, Débora Mazza

Apontamentos sobre a Revolução burguesa em Florestan Fernandes, Gilcilene de Oliveira Barão  

A questão democrática em Florestan Fernandes, Silvana Tótora

A questão racial analisada por Florestan Fernandes, Cleito Pereira dos Santos

A Sociologia de Florestan Fernandes, Octavio Ianni

A sociologia de Florestan Fernandes, Maria Arminda do Nascimento Arruda

As chaves do exílio e as portas da esperança, Heloisa Fernandes

As três casas de Florestan Fernandes, Heloísa Fernandes

A “transição transada”. Florestan Fernandes e a democratização (1984-1994), Rodrigo Chagas  

Capitalismo dependente e reforma universitária consentida, Kátia Regina de Souza Lima

Capitalismo selvagem e revolução dentro da ordem, Heloisa Fernandes

Celebrando Florestan Fernandes e a questão da educação brasileira , Amone Inacia Alves

Conceito de integração em Florestan Fernandes, Duarcides Ferreira Mariosa

Democracia e educação em Florestan Fernandes, Osmar Fávero (org.)

Em busca da universidade pública e popular: a Escola Nacional Florestan Fernandes, Heloisa Fernandes

Em Memória de Florestan Fernandes, Caio N. de Toledo

Florestan Fernandes: a criação de uma problemática, Miriam Limoeiro-Cardoso

Florestan Fernandes, a escola do MST e o jardim cercado da academia, Silvia Beatriz Adoue

Florestan Fernandes e a crítica da economia política desenvolvimentista, Rodrigo Castelo

Florestan e a educação, Heloísa Fernandes

Florestan Fernandes e a consolidação das Ciências Sociais no Brasil,  Thiago Pereira da Silva Mazucato

Florestan Fernandes e a contra-revolução Brasileira, Rogério Fernandes Macedo e
Roziane da Silva Cerqueira

Florestan Fernandes e a defesa da educação pública, Roberto Leher

Florestan Fernandes e a educação, Dermeval Saviani

Florestan Fernandes e a profissionalização da Sociologia, Jacob Carlos Lima

Florestan Fernandes e a questão do transformismo na transição democrática brasileira, David Maciel

Florestan Fernandes e as intepretações do Brasil, Bernardo Ricupero

Florestan Fernandes e o marxismo. O Brasil em perspectiva socialista, Diogo Valença

Florestan Fernandes e o negro: uma interpretação política, Clóvis Moura

Florestan Fernandes e o radicalismo plebeu em Sociologia, Gabriel Cohn

Florestan Fernandes e o socialismo, Oswaldo Coggiola

Florestan Fernandes e os caminhos para a emancipação das ciências sociais no Brasil, Eliane Veras Soares

Florestan Fernandes e Sociologia no Brasil, Luiz Pereira

Florestan Fernandes e os dilemas intelectuais contemporâneos, Eliane Veras Soares

Florestan Fernandes e os Sem Terra, Ademar Bogo

Florestan Fernandes, clássico da interpretação do Brasil, Jaldes Menezes

Florestan Fernandes, o sociólogo militante, Vladimir Sachetta

Florestan Fernandes por ele mesmo, Bárbara Freitag

Florestan Fernandes, Um Sociólogo Socialista , Heloísa Fernandes

Florestan Fernandes: a vitalidade de um pensamento político, Paulo Henrique Martinez

Florestan Fernandes: cem anos e a alma do Brasil, José Raimundo Trindade

Florestan Fernandes: Elementos para uma reflexão militante, Adelar Pizetta

Florestan Fernandes e o conceito de patrimonialismo na compreensão do Brasil, Aristeu Portela Júnior

Florestan Fernandes: La historia y la sociologia como conciencia, Julio Le Riverend

Florestan Fernandes: o olhar de um socialista revolucionário sobre a Revolução Burguesa no Brasil, Mário Maestri

Florestan Fernandes: Questão Racial e Democracia – Rafael Marchesan Tauil

Florestan Fernandes: revisitado – Barbara Freitag

Florestan, um intelectual do povo, Glauco Faria

Indivíduo e sociedade: Florestan Fernandes e Nobert Elias, Marcelo Rosa

Interpretando a Modernização Conservadora: A Imaginação Sociológica Brasileira em Tempos Difíceis, Fernando Perlatto

Interpretando o fim do ciclo 1988-2016: pode a “parceria” Furtado e Florestan fornecer novas pistas teóricas e metodológicas para entender o presente passado?, Alexandre de Freitas Barbosa

Jornal da USP (depoimentos de autores diversos por ocasião da comemoração dos 100 anos)

Lembrando Florestan Fernandes, Antonio Candido

Marxismo e “imagem do Brasil em FF”, Carlos Nelson Coutinho

O desafio educacional, de Florestan Fernandes, Antônio Luís Risso, Sandra Regina Gomes, Carlos Bauer

O dilema racial brasileiro: de Roger Bastide a Florestan Fernandes ou da explicação teórica à proposição política, Eliane Veras, Maria Lúcia Braga e Diogo Valença

O jovem Florestan, Antonio Candido

O intelectual Florestan Fernandes e seus diálogos intelectuais, Vera Cepêda e Thiago Mazucato

O legado de Florestan Fernandes, Adelar Pizetta

O marxismo de Florestan Fernandes em A Revolução Burguesa no Brasil, Rodrigo Jurucê Mattos Gonçalves

O marxismo descolonial de Florestan Fernandes e a esquerda socialista no século XXI, Maycon Bezerra

O mito da burguesia nacional no pensamento de esquerda no Brasil pré-64: a crítica de Caio Prado Junior e Florestan Fernandes, Mabelle Bandoli

O nome verdadeiro, Márcia Camargos

Órbitas sincrônicas: sociólogos e intelectuais negros em São Paulo, anos 1950-1970, Mário Augusto Medeiros da Silva

O Retorno dos Ancestrais, ou Alguma Coisa Que Sei Sobre o Florestan dos Antropólogos,  Felipe Vander Velden

Partido Político em Florestan Fernandes, Michel Silva

Para pensar o capitalismo contemporâneo a partir da obra de FF, Thiago Mandarino

Raça, classe e a negação do conflito, Aristeu Portela Júnior

Retratos de Florestan,  José de Souza Martins

Sociologia e Socialismo na obra de Florestan Fernandes, Caio N. de Toledo

Sociólogo conciliou ciência e política, Emília Viotti Costa

Um breve depoimento, Maria Arminda do Nascimento Arruda

Universidade e o papel do intelectual em Florestan Fernandes, Zuleide Silva

Vinte anos sem Florestan, Heloísa Fernandes

Foto Nair Benedicto

Foto de Nair Benedicto, Com indios Xavantes, 1986  (Detalhe: no Google, a mulher indígena não aparece…)

VIII. Resenhas sobre obras de Florestan Fernandes

A função social da guerra na sociedade Tupinambá, Paula Beiguelman

A organização social dos Tupinambá, Antonio Candido

A Revolução Burguesa no Brasil, Mário Maestri

A Revolução Burguesa no Brasil, Paulo Silveira

A Revolução Burguesa no Brasil, Ricardo Musse

Da Guerrilha ao Socialismo. A Revolução Cubana, Caio N. de Toledo

Universidade brasileira: Refroma ou Revolução, Roberto Leher

IX. Trabalhos acadêmicos (teses e dissertações)

A produção sociologica de Florestan Fernandes e a problematica educacional : uma leitura (1941-1964), Débora Mazza

As contribuições educacionais de Florestan Fernandes : debate com a pedagogia nova e a centralidade da categoria Revolução, Gilcilene Damasceno Barão

As raízes ideológicas da Sociologia de Florestan Fernandes, Diogo Valença Costa

Caminhos para uma sociologia pública: Pierre Bourdieu e Florestan Fernandes, Keila Lúcio de Carvalhof

Capitalismo dependente e (contra) revolução burguesa no Brasil, Carlos Paiva

Desvendando mitos: as relações entre raça e classe na obra de Florestan Fernandes, Daniele Cordeiro Motta.

Entre o mágico e o cruel: a Amazônia no pensamento marxista brasileiro, Luiz Fernando de Souza Santos

Entre a academia e o partido. A obra de Florestan Fernandes (1969-1983), Lidiane Soares Rodrigues

Florestan Fernandes e a sociologia como críticas dos processos sociais, Duarcides Ferreira Mariosa

Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos : um debate, Tatiana Martins

Florestan Fernandes em questão: um estudo sobre as interpretações de sua sociologia, Diogo Valença Costa

Interfaces entre sociologia e processo social: “A integração do negro na sociedade de classes” e a pesquisa Unesco em São Paulo, Antonia Junqueira Malta Campos

X. Vídeos

Antonio Candido: homenagem a Florestan Fernandes

“Capitalismo dependente e classes sociais no Brasil

Capitalismo dependente, classes socias, mudanças social e democracia

Cordel na Praça da Sé sobre Florestan Fernandes 

Em defesa do marxismo”

Florestan Fernandes, com Daniele Cordeiro Motta, : parte 1 e parte 2 (Raça e classe em FF)

Florestan Fernandes: capitalismo dependente e classes sociais no Brasil, com Mirian Limoeiro-Cardoso

Florestan Fernandes, com Jessé Souza

Florestan Fernandes, com Lidiane Soares Rodrigues (3 vídeos)

Florestan Fernandes e a Escola Paulista de Sociologia

Florestan Fernandes e a revolução brasileira, com Roberto Leher

Florestan Fernandes, Vox Populi

Florestan Fernandes comenta Plano Cruzado

 “O mestre”, TV Câmara Federal

O que a vida de Florestan Fernandes nos ensina sobre o direito à educação? Com Haroldo Ceravolo Sereza

Parte 1 e parte 2

Pensando com Florestan Fernandes, documentário produzido pela ENFF

Quem somos nós? Florestan Fernandes e Gilberto Freyre, com Julio Vellozo e Silvio de Almeida

Resgatando clássicos do marxismo: Florestan Fernandes, com Mauro Iasi

Significado do protesto negro de Florestan Fernandes, com Flávio Jorge Rodrigues da Silva, Florestan Fernandes Jr.; Maria José Menezes e Weber Lopes

50 Anos de “A Integração do Negro na Sociedade de Classes”, Vários depoimentos.

Sobre a teoria do “autoritarismo” , Depoimento de Rodrigo Castelo,

Vicente e Antonio, a trajetória de uma amizade – leitura de peça teatro 

Assembléia do alunos da FFLCH em 1986. Foto: Jorge Maruta – CCS/Jornal da USP.

1 comentário

  1. Heloisa Fernandes Silveira on

    A equipe de Marxismo 21 está de parabéns. Que trabalho hercúleo, digno, profundo, radical. O dossiê Florestan Fernandes é trabalho de biblioteca e abre aos pesquisadores uma área enorme de pesquisa. Vi até um artigo que não lembro de ter escrito!

Powered by themekiller.com